Soft Skills I


Soft Skills: Você precisa delas

Soft Skills: Você precisa delas

Fato: Um gerente de projeto passa a maior parte do seu tempo se comunicando. Seja com membros do time, gerentes funcionais, membros do executivo da empresa, financiadores ou o cliente, as capacidades interpessoais de um gerente de projetos podem ser o diferencial entre um projeto bem sucedido e um monumental fracasso.

Não que as habilidades técnicas não sejam importantes, mas imagine a situação: o gerente de projetos A é mandão, cheio de si, não ouve opiniões e quer tudo feito do modo dele. Já o gerente de projetos B divide responsabilidades, dá suporte ao time, facilita a comunicação com os executivos e gerentes funcionais e leva em consideração o que a equipe técnica reporta. Com quem você gostaria de trabalhar? Mais importante: Qual desses gerentes você gostaria de ser? Todos sabemos a resposta e a forma mais eficaz de se atingir este objetivo é desenvolvendo suas Soft Skills, suas habilidades inter-pessoais.

A importância das soft skills é tanta que a P21 (The Partnership for 21st Century Skills) formada por grandes líderes comerciais como Dell, Apple, Microsoft entre outras, faz lobby para a melhoria do grau de educação dos estudantes através do desenvolvimento destas habilidades neles. Dentro o framework da P21, eu gostaria de destacar:

Flexibilidade & Adaptabilidade
Habilidades Sociais & Inter-Culturais
Liderança & Responsabilidade
Pensamento Crítico e Resolução de Problemas
Comunicação e Colaboração

Parece familiar? Eu diria que são coisas que todo gerente de projetos deveria ao menos ter em mente ao lidar com seus stakeholders e mais importante, com os membros do time que estão desenvolvendo o projeto.

Um bom gerente de projetos não pode apenas monitorar o andamento do projeto, dizer o que fazer e esperar pelo melhor. Ele tem que ser um líder, que inspira os membros do time a darem o melhor de si pela causa (o projeto). É neste momento que as técnicas motivacionais entra em cena. Fazer alguém querer dar o melhor de si por um projeto pode ser difícil, mas veja o seguinte exemplo: Na empresa X, os funcionários estão trocando DVDs (originais, diga não à pirataria) entre si. Parece bobagem, e deve estar retirando recursos das suas funções, mas o nível motivacional e a interação entre os funcionários nunca esteve tão bem. Funcionário feliz = funcionário trabalhando melhor. O mesmo vale para os membros do time.

Resolver conflitos de forma administrativa também é uma habilidade imprescindível para todo gerente de projetos. Como fazer com que problemas dentro do time não gerem impactos para o projeto deve sempre estar em primeiro plano. (Uma boa fonte de idéias sobre como resolver este tipo de situação é a aula de Margaret Meloni, – Dealing with Difficult People, cujo review pode ser encontrado aqui). Nem sempre o problema está onde se imagina, e isso torna as relações interpessoais difíceis, e exige muito do gerente do projeto.

A dinâmica moderna pode torna-se um problema neste aspecto. Com o advento dos times virtuais, onde os desenvolvedores encontra-se em uma locação, o executivo na sede, e os gerentes de projeto em um terceiro lugar tão distante quanto, o papel das Soft Skills muda e motivar dos membros do time fica difícil. Mas vamos falar disto num outro post.

Pra terminar um conselho, nas palavras do professor do Mestrado em Gerenciamento de Projetos da FGV Campinas, Marco Túlio, sobre a postura do líder ideal:

“Gerente Rapadura: Duro com os processos e doce com as pessoas”.

Até a próxima!

Anúncios

Sobre Diego Nei

Soteropolitano de capricórnio, Bacharel em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Jorge Amado, estou atualmente cursando um MBA em Gerenciamento de Projetos. Gosto de escrever e de tocar violão. Acho que através do Gerenciamento de Projetos temos uma oportunidade de rever como as coisas são feitas e achar uma forma de atingir objetivos. Quem sabe se tivéssemos mais gerentes de projetos em Brasília a história não fosse diferente? Sou membro do PMI desde 2008, filiado ao Capítulo Bahia. Me interesso por projetos de desenvolvimento social, Corrente Crítica e Lean Six Sigma como garantia de qualidade em processos.
Esse post foi publicado em Soft Skills e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Soft Skills I

  1. Eli Mary disse:

    Muito bom… Num ambiente onde é cada vez mais fácil adquirir habilidades técnicas, são as habilidades humanas que vão dar o diferencial de qualquer profissional.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s